Tudo flui como um rio

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011 Postado por Lindiberg de Oliveira

Algumas pessoas são bem observadoras, e não são poucas às vezes os comentários que ouço sobre o quanto mudei nos últimos anos – se bem que não precisa ser muito observador para se perceber isso. Sendo assim, a mudança – creio eu – é algo inerente ao ser humano. A célebre frase phanta rhei (tudo flui) usada por Heráclito (540-480 a.C.), resume muito bem essa questão de mudança. Segundo a concepção de Heráclito tudo está em movimento e nada dura pra sempre; o dia vira noite, o vapor se transforma em líquido que por sua vez “flui” para sólido. Coisas quentes esfriam, coisas frias esquentam; coisas úmidas secam, coisas secas umedecem etc. Podemos levar em conta também as várias formas que os átomos dão a matéria. Daí surgiu a conceito de que “não podemos entrar no mesmo riu duas vezes”, pois, quando entro pela segunda vez, o riu já não é mais o mesmo, pois as águas estão sempre fluindo, e eu também já não sou mais a mesma pessoa.

Diante disso, as mudanças são intrínsecas não somente ao ser humano, mas também a todo o universo. A vida é um “eterno” vir-a-ser. Somente o Logos não está sujeito à variabilidade.

Como nada é constante – tudo passa, tudo flui, sendo a vida uma sucessão de realidades –, remato que realmente mudei, e não foram poucas minhas metamorfoses. Mudei quando me converti em uma igreja evangélica. Posteriormente mudei quando conheci Jesus. Mudei quando me deparei com o Kallil e o Romário, depois mudei novamente quando passei para o ensino médio, etc. Mas o que mais intriga meus leitores, ouvintes, amigos e conhecidos, é que mudei por demais minhas opiniões e valores teológicos e filosóficos.

Admito a todos vocês que em se tratando da minha fé, mudei mesmo. Mudei de caminho, mas não de rumo. Pulei pra dentro de outra trincheira, mas não abandonei a guerra. Quero permanecer perto daqueles que aprenderam a ter coragem para enfrentar o desafio da ressignificação da fé. Quero lutar ao lado de pessoas simples, gente que se acham indigna, que ousam fazer seus questionamentos com sinceridade assim como Jó, que não tenham medo de olhar para o alto e dilatar seu coraçãoa diante de Deus. Quero pelejar ao lado de sujeitos que estejam dispostos a mudar, a “fluir”, a sair do casulo.

Phanta rhei os potamós; "Tudo flui como um rio".


©2011 Lindiberg de Oliveira


Leia Também: