Não quero ser um crítico porcaria

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010 Postado por Lindiberg de Oliveira

De certa forma, o trabalho de um crítico é fácil. Nos arriscamos pouco e temos prazer em avaliar com superioridade os que nos submetem seu trabalho e reputação. Ganhamos fama com críticas negativas que são divertidas de escrever e ler. Mas a dura realidade que nós, críticos, devemos encarar é que no quadro geral, a mais simples porcaria talvez seja mais significativa do que a nossa crítica.
"Texto retirado do filme Ratatouille"

Depois que comecei a escrever para o blog Fé, Razão e Graça, entendi que, quando você critica gente famosa, você ganha IBOPE. Depois que critiquei o Caio Fabio pela sua postura diante da calunia do Marco Feliciano, este blog deu saltos enormes nas suas visitas diárias.

Desde então comecei a fazer algumas observações em vários blogs e sites, e percebi que, muitas são as críticas sem conteúdo e sem conhecimento autentico do assunto. Na verdade, muitos editores de blogs e sites não são críticos legítimos, pois só querem ganhar notoriedade em cima dos vacilo dos outros. São pessoas carentes de elogios e reconhecimentos. Ora, Freud disse que todo ser humano sente a necessidade de ser amado e reconhecido. Mas a Palavra diz que temos que fazer morrer esse sentimento maligno de sempre querer está diante dos holofotes.

Resolvi que não quero ser um crítico porcaria. Não quero criticar aquilo que não entendo e daquilo que eu não sei. Pois a maioria daqueles que se dizem críticos, são na verdade caçadores de aplausos e não fazem nada para o crescimento do reino de Deus, muito pelo contrario, trazem mais dúvidas ao povo cristão brasileiro expondo bizarrices com cara de humor e idiotices com vestes cínicas.

Temos que expor o que é de vergonhoso no nosso meio, mas, que sejam apresentadas suas devidas soluções.