Sexo como sinal de emancipação?

terça-feira, 13 de outubro de 2009 Postado por Lindiberg de Oliveira


Nada consome mais os pensamentos de um jovem hoje do que o sexo. O grande deus deste mundo sem dúvidas é o sexo. Um dos grandes problemas com o sexo hoje é que os jovens acham que o sexo é sinônimo de emancipação. “Ora, eu sou adulto, eu já transo!” “E eu sou mais adulto ainda, eu transo com várias!”. E os adultos contribuem para criar essa imagem de maturidade agregada ao sexo se recusando a tocar no assunto com seus filhos. “Ah! Isso é coisa de adulto”. O que acontece? Quando os jovens chegam naquela fase de auto-afirmação, eles vão apelar para o que? Sexo! Depois colhem as conseqüências: depressão, baixa auto-estima, feridas emocionais, um casamento desajustado, fruto de um relacionamento que não conheceu os prazeres transcendentes do amor ágape, da amizade, do conhecimento mútuo, da comunhão. Se você quer ser reconhecido como adulto vá trabalhar, assumir responsabilidade por seus atos, pagar seus estudos, morar sozinho, sustentar uma casa, isso é ser adulto. Se Sexo, Drogas & Rock ‘n’ Roll são sinônimos de alguma coisa, são sinônimos de imaturidade, infantilidade, do desejo de chamar atenção. Pois quando você precisa fazer uso de artifícios para provar ser algo, na verdade você prova o contrário. Quem é, não precisa provar para ninguém que é, pois, todos o reconhecerão como tal. Mas quando você precisa provar para os outros que é, você não é. Se você precisa provar para os outros que você é adulto, você prova que é criança. E o dia que você assumir as responsabilidades da vida adulta, ai sim, parabéns! Você se tornou adulto. E ah! Quando você chegar lá, tudo que você vai desejar, é poder voltar aos dias da infância.

Fonte: Despertai Bereanos